terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Aquele aperto toda vez que você vai, e um arrepio por dentro toda vez que você chega. Aquela saudade quando some, sem previsão, sem aviso. Vamos combinar assim, eu fico aqui , na tua porta , esperando você abrir. Não sei por quanto tempo eu vou aguentar, pretendo virar a noite, o dia , o mês , o ano, a década .. pretendo virar do avesso, virar o que for preciso pra te manter perto. Só não deixa eu ficar muito tempo aqui , ta frio aqui fora , às vezes chove, o sol também esquenta um pouco. Não deixa que eu me desgaste muito, abre a porta, de novo, deixa eu sentar no teu sofá, deixa eu olhar pra você e contar tudo que senti lá fora, e deixa eu fechar a porta , deixa ? Não pretendo voltar pra lá, não enquanto conseguir prender seus olhos nos meus. E pretendo ficar assim até te convencer de que é tudo de verdade, de que não menti ao dizer que estaria aqui, sempre , enquanto quiser, enquanto não quiser, se pedir ,se me mandar embora .. se não me quiser mais, se algum prato cair e você desviar o olhar, não tem problema, eu volto lá pra fora, pra tua porta, passo tudo de novo , frio , calor, medo .. esperando você abrir a porta de novo . Faço isso porque vale a pena, sei que vale, e você bem sabe.

2 comentários:

  1. Olá! Vim conhecer o seu blog e já estou te seguindo! Amei tudo por aqui! Parabéns! Te convido a me fazer uma visitinha e conhecer o meu cantinho! Te espero por lá!
    Bjs
    http://artinfelt.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Olá, Adoro ter você aqui!
Obrigada por comentar

Deixe seu link para retorno.